domingo, 12 de setembro de 2010

É preciso união, mas.....

Por Sandro Azevedo*

Alguém nos salve Alvicelestes,

Eu critico, eu desabafo, mas sempre estou na ressacada incentivando o meu time do coração, difícil é ver nosso antigo caldeirão cada dia mais vazio e frio, ver tantos torcedores estranhos e um grupo incompetente e desanimado de atletas que não conseguem honrar nosso manto alviceleste. Não estou reclamando dos torcedores que faltaram ao jogo, cada um tem seus justos motivos, seja pelo trânsito, pela chuva ou pela péssima campanha que realizamos neste ano, entre outras justificativas, todos nós estamos magoados.

Começamos a partida demonstrando muita vontade, por outro lado era visível nossas dificuldades em organizar jogadas, foi um primeiro tempo de muita marcação e poucas chances de gols. Nosso jovem goleiro não fez qualquer defesa, já o goleiro mineiro defendeu apenas um chute de Eltinho, colocando a bola para escanteio. O árbitro confuso demais, ajudou a irritar a torcida, mas nada que pudesse influenciar no resultado, pois marcou um pênalti legítimo em favor do Cruzeiro, Eltinho foi na direção de Renan e disse onde Roger costuma bater – um pouquinho de humildade faria bem - , mas nosso arqueiro não deu ouvidos e na cobrança se jogou para o canto contrário, resultado, terminamos a primeira etapa em desvantagem mais uma vez.

No segundo tempo, voltamos com vontade, contudo, o time demonstra fragilidade para construir jogadas ofensivas, Davi esteve péssimo mais uma vez, novamente, de novo – para ser bem redundante – mas não foi o principal culpado pela derrota. Aos 8 minutos da etapa final, o time mineiro teve um jogador expulso e como nos jogos anteriores não soubemos aproveitar, nosso time não conseguiu chutar qualquer bola em gol até levarmos o segundo, num lançamento para o atacante cruzeirense, três jogadores azurras cercaram – apenas ficaram olhando – o jogador mineiro chutou, a bola bateu na trave e nas costas de nosso arqueiro, morrendo no fundo das redes.

Depois fomos para cima como Kamikases e acabamos achando nosso gol de honra, num dos poucos chutes na direção da meta defendida por Fábio. Acabou desta forma o jogo, mais uma derrota, mais uma decepção e mais uma vez ninguém se manifesta a respeito. O importante neste momento é a união, a torcida avaiana repetiu o que vinha fazendo nos últimos jogos, deu apoio o tempo inteiro e apenas no fim do jogo fez sua manifestação. O grande problema em se unir as partes é quando uma não cede ou não admite suas fraquezas, é preciso humildade para aceitar os erros cometidos e pedir a ajuda da torcida. Nós (torcedores) estamos dispostos a ajudar e o mínimo que pedimos é que a diretoria coloque a mão na consciência, converse com os jogadores e convoque a nação alviceleste para um pacto de união, pois somente desta maneira vamos evitar um péssimo fim de ano para todos ou quase todos.



Foto: Flávio Neves / clicRSB

*Sandro Azevedo é advogado, sócio e torcedor do Avaí. Jogador muito amador, mas sempre leal do time Traíras. Também conhecido pelo pseudônimo Coelho, foi convidado especial para assistir (na torcida do time da casa) de corpo presente Chororo 1 x 7 tricolor, uma noite inesquecível.

Obs: O artigo não reflete, necessariamente, a opinião do Blog da Chuleta Avaiana.

Siga a Chuleta Avaiana no twitter (@chuletaavaiana)

Cadastre-se como seguidor do Blog da Chuleta! Clique no botão "Seguir", na coluna a direita do Blog...em breve, promoções exclusivas para seguidores do Blog da Chuleta.

2 comentários:

Mendonça disse...

Sacudir a poeira, dar a volta por cima, levantar a cabeça, arrumar a casa, trabalhar mais, apoiar o time, baixar os ingressos, não entrar em desespero, ter atitude, suar a camisa, honrar as cores do time, dedicar-se, manter o foco, acreditar na recuperação, confiar no projeto, ter pegada, aproveitar as oportunidades, comprar a briga, manter a união, pedir chuva, rezar pra Nossa Senhora da Ressacada, cruzar os dedos, fazer mandinga, apelar para frases de efeito, protestar, cantar, xingar, fazer faixas, colocar nariz de palhaço, contratar, demitir, trazer de volta, sair do estaleiro, usar psicologia, auto-ajuda e outras coisas do gênero. Tudo balela se o time não JOGAR BOLA! Cacete!
Alexandre FC Mendonça

AZEVEDO disse...

Exatamente Alexandre,

Não adianta nós se unirmos, não adianta qualquer atitude da torcida, se o pessoal dentro do campo não corresponde!