sexta-feira, 11 de março de 2011

“Guerreiro Menino”

Raimundo Fagner Cândido Lopes e Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior (Gonzaguinha) eram compadres e por conta desse vínculo afetivo frequentavam muito a casa um do outro. Em meio a esses encontros, dentre tantos sucessos, nasceu a música Guerreiro Menino. Os dois artistas iriam fazer uma parceria. Fagner passou alguma coisa da intenção da música para Gonzaguinha, para que, dias depois, finalizassem o trabalho.

Fagner preparou o clima da melodia e da harmonia, mas Gonzaguinha surpreendeu e enviou antes a música pronta, sozinho. Mesmo contrariado, o cantor adorou o trabalho realizado pelo compositor e gravou a música. Resultado, a canção foi um verdadeiro sucesso.

Silas, após o término da partida diante do Brusque, chamou a atenção ao mencionar que identificou a falta de espírito de alguns jogadores do Leão. O Avaí é isso aí, não desiste, mas ainda temos alguns atletas dentro do elenco que não entenderam o espírito aqui do Avaí, que aqui é 90 minutos dentro do adversário sem desistir. Isso eu vou ter que instigar neles, mas eu não posso cobrar um condicionamento que ainda não está 100%, então muita coisa é no coração, na raça e na substituição, cobrou o treinador. Gerreiros são pessoas; são fortes, são frágeis; Gerreiros são meninos; por dentro do peito; Precisam de um descanso; Precisam de um remanso; Precisam de um sonho; que os tornem perfeitos.

Ainda que o treinador tenha percebido a falta de espírito em alguns jogadores, Silas, como a nação azurra, também identificou alguns destaques. O Julinho entrou e fez gol, o Cristian fez gol e o Evando também entrou e fez gol, então isso ajuda a gente quando ganhamos o jogo com o banco. Apesar de não concordarmos que Cristian tenha sido um destaque, é inegável a boa partida realizada pelos jogadores Julinho, Estrada e Evando. Um homem se humilha; se castram seus sonhos; Seu sonho é sua vida; e vida é trabalho; E sem o seu trabalho; o homem não tem honra; E sem a sua honra; se morre, se mata.

Não podemos negar que o futebol apresentado não agradou aos torcedores que estiveram na bela Ressacada, mas somamos três pontos e estamos muito vivos na competição. Contudo, para que consigamos alcançar os objetivos pretendidos, além do bom futebol, nossos guerreiros terão que mostrar espírito de grupo e muita raça. Não dá pra ser feliz; não dá pra ser feliz...

6 comentários:

Anônimo disse...

Bela melodia, bela relação com nosso time!! Concordo que nem todos os nossos jogadores entraram no espírito da competição, mas tenho certeza que com muito treino e dedicação, nossos guerreiros "acordarão" e lutarão para o Avaí garantir mais uma conquista.

Chuleta Avaiana disse...

É isso aí amigo(a) leitor(a), é o que esperamos. Rumo ao tricampeonato. Um abraço da Chuleta Avaiana!

Aloísio disse...

É meu caro poeta, belíssima analogia com o nosso querido LEÃO.
O AVAÍ em breve será tudo isso (pessoa, guerreiro, menino no fundo peito)não permitiremos que castrem nosso sonho. Vamo lá AVAEEE!!!
Ah... apenas um toque prá nossa diretoria: Com esses valores de ingressos e para sócios...NÃO DÁ PRA SER FELIZ, NÃO DÁ PRÁ SER FELIZ...


Um Abraço,

Aloísio

Chuleta Avaiana disse...

Boa Aloísio, quem sabe a Diretoria não ouve o seu apelo. Vamos fazer coro! Um abraço da Chuleta Avaiana.

GiSevero disse...

Como sempre, humilharam!
Tô cada vez mais fã dos Chuletas...

Chuleta Avaiana disse...

Obrigado Gi, você como sempre, muito generosa! Um abraço da Chuleta Avaiana.