sábado, 21 de maio de 2011

A torcida tricolor não quer M10.

Novamente a torcida gaúcha demonstra aversão acerca da contratação de jogadores avaianos. Dando uma pesquisa em blogs e jornais eletrônicos nos pampas, constata-se que a esmagadora maioria da torcida não vê com bons olhos a presença de Marquinhos no elenco tricolor. Em nosso time, temos duas provas vivas do transtorno que é defender as cores do tricolor gaúcho. William e Silas tiveram rápida passagem e não foram bem digeridos, mesmo com o nosso técnico levantando o caneco estadual em seu primeiro ano.
Ainda tivemos Ferdinando, um jogador raçudo, mas limitado tecnicamente. Parecia que se encaixaria como uma luva, afinal, o futebol gaúcho é baseado na força, entretanto, não foi isso que se viu. Mesmo marcando o gol do título, o jogador era perseguido pelo torcedor local. Desta forma, parece que a assinatura do contrato pelo nosso anjo loiro ficará mais distante, pois seria um grande tiro no pé, trocar a equipe do coração, por uma que exige muito mais do que apenas coração.

Após diversos comentários e matérias publicadas, começam a surgir algumas insinuações de que o negócio realmente não se concretiza, tendo em vista que Zunino teria oferecido uma renovação antecipada de contrato ao M10. É importante frisar que, todo cuidado é pouco, em que pese algumas declarações positivas. Como disse o "filósofo" Rafael Moura - no Goiás em 2010 -, "não se enganem, podridão no futebol existe".

Um comentário:

ELAS GOSTAM DE FUTEBOL disse...

Eu vejo por outro ponto de vista. Não é que a torcida de lá não vê com bons olhos nossos jogadores. A verdade é que não acham correto colocar grande soma de dinheiro em uma contratação que não vá trazer resultados. estão errados? Silas não deu resultado e foi mandado embora. Errado? Infelizmente futebol é u negócio como outro qualquer. desde o inicio cantei a bola de que marquinhos não sairia, não porque ele não queria ou porque a diretoria não queria, mas porque o grêmio não iria dispor de 3,4 milhões de quebra de contrato pelo Marquinhos, assim como o presidente do Avaí deixou claro que não abriria mão de receber a indenização. Ou seja, nem lá e nem aqui não haveria negociação. "Business"

Saudaçoes

carmen