quarta-feira, 25 de abril de 2012

M10: As regalias de um Idolo

Nosso amigo Sandro Gadernal Azevedo analisa uma possível volta do ídolo avaiano, Marquinhos. Leia e confira. "Vamo, vamo, Avaeee"!

Sinceramente, não consigo entender esta proteção exagerada com alguns ídolos do futebol brasileiro. Não podemos esquecer o passado glorioso de muitos atletas e as marcantes conquistas, mas até que ponto é viável manter este manto protetor? No Flamengo, R10 faz o que bem entende. Algumas pessoas defendem que o jogador é importante para o clube e fazem vista grossa para noitadas, faltas em treinos, desrespeito com os demais companheiros de time e acima de tudo, falta de profissionalismo com o clube que arca com os salários! 

Pelo Corinthians, foi Adriano Imperador que não soube valorizar mais uma chance concedida ao jogador para se reabilitar no futebol. Novamente, sob a imagem de ídolo, aprontou diversas vezes, faltou em mais de 30 treinos, teve o contrato rescindido por justa causa e ainda saiu criticando a instituição, alegando, pasmen, que foi humilhado! 

Aqui na Ressacada, não se discute o passado construído por M10, mas como falei, foi passado! O clube sobrevive do presente e não de antigas conquistas. É incompreensível o futebol apresentado nas últimas temporadas pelo Galego nas equipes do Santos e do Grêmio, onde se apresenta de forma bem diversa da apresentada no clube azurra. 

No Santos e no Grêmio, M10 corre quase os 90 minutos, dá carrinho e se dedica de forma muito intensa no jogo. Por outro lado, no Avaí, parte da torcida se contenta apenas com algumas cobranças de faltas, de escanteio e alguns passes perfeitos. Na última passagem, em 2011, foi bem pior, falou muito e jogou de menos! Portanto, caso se concretize o re-re-re-retorno do M10 ao clube avaiano, a única coisa que desejo, é que repita o futebol apresentado nas "grandes equipes", porque, qualidade tem de sobra, mas futebol, só apresenta quando lhe é conveniente!

7 comentários:

Serjão Jr disse...

Puxa até que enfim alguem dentro da blogosfera Avaiana disse tudo aquilo que venho dizendo. Se voltar e jogar o que jogou no Santos e Gremio e tiver o mesmo empenho, serei o primeiro a elogia-lo, mas para viver de nome, onerar a folha de pagamento e fazer o que fez em 2011, que fique bem longe do Avai. Em 2011 o sujeito foi o Adriano da Ressacada. Isso é gostar do clube, isso é ser idolo?
Idolo para ser respeitado, precisa respeitar a inistituiçao que o consagrou.

Anônimo disse...

É exatamente isso que penso sobre M10, na sua última passagem pelo Avai andou em campo, lento, sem vontade, se vier, que jogue, pelo menos, o que vem jogando no Gremio.
Eron

Carmen Fuhrmann disse...

Serjão,

Fui criticada por dizer que a volta do M10 era coisa que deveria ficar no passado. É pra frente que se anda, e com a idade que está, na certeza vem para se aposentar.

Anônimo disse...

É o mesmo que eu tenho escrito, que venha como jogador, não, apenas, como ídolo e com corpinho de Rei-Momo.
Só se ajeita onde existem exigências, como no Avai isso não existe.......
Futebol ele tem, mas precisa mostrar e, não, voltar, apenas, pra se aposentar trabalhando.
Bighal.

Chuleta Avaiana disse...

Nobre Sérjão,

O problema é que no Santos e Grêmio existem diversos jogadores de alto nível, então, é preciso um plus para garantir a vaga. No Avai, realmente ele é diferenciado, mas não pode ser intocável...nem mesmo ficar "paradinho" só batendo falta, escanteio e fazendo alguns lançamentos.

Abraços.

Chuleta Avaiana disse...

Carmen,

Algumas pessoas defendem efusivamente o retorno do M10, mesmo que seja apenas para "atuar" de maneira diferente da que faz nos times de grande porte.

Se é assim, só por ser ídolo, então contrata o Adilson Heleno. Tb vai ficar paradinho só batendo falta e escanteio....

Boa semana.

Chuleta Avaiana disse...

Bighal,

Neste ponto, M10 já assumiu que tb errou, pois se acomodou, entrentanto, a grande culpa é da diretoria azurra, a qual não cobra - até por não ter moral para isso - uma postura profissional dos atletas.

Abraços.